O Ubuntu está pronto para rodar em servidores corporativos?

Deixando de lado a reputação de sistema de desktops, o Ubuntu está fazendo investidas como uma alternativa para servidores que pode competir com o Red Hat.

De acordo com todas as contas, o Red Hat, da fornecedora de mesmo nome, é líder disparado no Linux empresarial, mas o Ubuntu, da Canonical, está se provando um excelente competidor. Está na hora do mercado corporativo considerar o uso do Ubuntu?

Poucos comentam sobre o mercado do Linux além do Red Hat Enterprise Linux, o líder, e o Novell Suse, vice-líder distante. Em maio passado, quando o relatório Eclipse Survey 2009 foi divulgado, duas coisas interessantes sobre a adoção de Linux em empresas chamaram a atenção.

O documento apontava que cerca de 15% dos desenvolvedores entrevistados estavam usando Ubuntu em suas máquinas. O Fedora/RHEL lidera a implantação do Linux, mas apenas por um simples ponto percentual contra o Ubuntu. E, no entanto, a partir de um ponto de vista de receita e de unidades entregues, a IDC estima participação da Red Hat no mercado de Linux em mais de 60%.

A Weta Digital, estúdio de efeitos digitais por trás de filmes como “Avatar”, “Distrito 9”, “Jumper” e a série “O Senhor dos Anéis”, está usando o Ubuntu em grande escala. O desenvolvedor de servidores baseados no Ubuntu, Dustin Kirkland, escreveu o seguinte sobre o sistema:

“Foi uma grande conversa sobre o tipo de data center necessário para renderizar efeitos especiais nos filmes de hoje. Eles têm discos de 2 petabytes, rede de 10 Gbps e 35 mil núcleos no data center, e ainda assim demoram 48 horas para renderizar algumas sequências gráficas”.

O Ubuntu é o núcleo de tudo, rodando toda a renderização, e está presente em 90% dos desktops da Weta Digital. A renderização é baseada no Ubuntu, e não o RHEL como vinha sendo relatado na mídia. “Mais de 10 mil empregos e uma estimativa de 1,4 milhão de tarefas por dia. Cada quadro dos 24 quadros por segundo do filme ve múltiplas interações entre diretores e artistas e demoraram múltiplas horas para serem renderizados”

A estratégia da desenvolvedora Canonical é aumentar a participação em desktops, uma área que o Red Hat não cobre. Porém, com a pesquisa da Eclipse e o uso pela Weta Digital, o Ubuntu não deveria ser ignorado como uma opção para sistema operacional de servidores.

É hora das fabricantes de softwares certificarem o Ubuntu
Quando a adoção do Ubuntu é considerada em empresas, particularmente como um sistema para servidor, muitas dúvidas surgem sobre o suporte de aplicativos empresariais – e por uma boa razão. O Red Hat indubitavelmente possui muito mais desenvolvedores do que o Ubuntu atualmente, o que significa que aplicativos empresariais são mais prováveis de serem testados e certificados no RHEL do que no Ubuntu.

Porém, com o crescimento do Ubuntu e as incertezas ao redor do Novell Suse, fabricantes de softwares voltados para empresas não poderão adiar a certificação do Ubuntu por muito tempo.

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/tecnologia/2010/03/05/o-ubuntu-esta-pronto-para-rodar-em-servidores-corporativos/

About João Fracassi

Técnico em Informática e Redes com amplos conhecimentos em Ubuntu e bastante experiencia em Suporte a Desktops,Laptops,Servers e também c
This entry was posted in Linux, Noticias, Ubuntu. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s